Família

4 pontos que marcam o namoro como tempo de conhecimento

por Luiz Lopes, 10 de junho de 2022, 0 Comentários(s)

No dia 12 de junho é comemorado no Brasil o Dia dos Namorados. Mesmo sendo uma data voltada para o comércio, é oportunidade para aprendizados a respeito desse relacionamento que antecede o compromisso do noivado. O casal coordenador nacional do Setor Pré-Matrimonial da Pastoral Familiar, Alisson e Solange Schila, destaca quatro pontos sobre o período do namoro que o marcam como etapa privilegiada de conhecimento do outro.

Tais pontos marcam o tempo do namoro como etapa de conhecimento e devem ser praticados pelos namorados em vista de um relacionamento com propósito.

  1. Conhecer as características pessoais de cada um: quem sou e quem é a pessoa que está namorando comigo;
  2. Conhecer os gostos pessoais: descobrir o é que cada um gosta de fazer, e também do que é que não gosta;
  3. Conhecer os desejos e aspirações de cada um: o que cada um tem como objetivos no presente momento, e ao decidir namorar, por um impulso talvez alheio a este objetivo, como ter um relacionamento com outra pessoa, e de que forma estes objetivos, estas aspirações serão ou não transformados;
  4. Conhecer os projetos futuros e sobre como cada um poderá fazer parte no projeto do outro, mesclando dois futuros em um só.

É fundamental privilegiar espaços de diálogo aberto, falar de suas vidas, suas histórias, seus projetos, sentimentos, inseguranças. Revelando-se um ao outro com sinceridade”, destacou Solange.

A proximidade de Deus também é importante, salienta Alisson: “Quanto mais perto estiverem de Deus, mais próximo estarão um do outro”.

Nunca deixe de se perguntar para onde e como está indo o seu namoro”, sublinha Alisson.

Amoris Laetitia

Na exortação apostólica Amoris Laetitia, ao falar da busca de modos para amadurecer o amor dos jovens, em vista de uma união matrimonial, o Papa Francisco lamenta que o Dia de São Valentim seja usado com mais criatividade pelo comércio do que pelos pastores, em alguns países. Aqui no Brasil, a data do padroeiro dos namorados, em 14 de fevereiro, tem pouca referência em relação à data comercial, em 12 de junho.

No mesmo documento, o Papa chama atenção para a educação sexual dos adolescentes, que “são levianamente encorajados a utilizar a outra pessoa como objeto de experiências para compensar carências e grandes limites”.

Nesta fase, o Papa motiva que seja ensinado “um percurso pelas diversas expressões do amor, o cuidado mútuo, a ternura respeitosa, a comunicação rica de sentido. Com efeito, tudo isto prepara para uma doação íntegra e generosa de si mesmo que se expressará, depois dum compromisso público [o Matrimônio], na entrega dos corpos”.

Foto de capa: Everton Vila / Unsplash

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.