Vida

Em família defendemos a vida! SNV2019

por Pastoral Familiar, 21 de maio de 2020, 1 Comentários(s)

Hoje, 1º de outubro 2019, iniciam-se os trabalhos celebrativos da “Semana Nacional da Vida”.

Organizada pela Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB, através da Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF). A Semana Nacional da Vida é um momento em que todas as comunidades cristãs, em especial a comunidade católica, são convidadas a voltarem o olhar para a importância da dignidade da vida humana. Este ano com o tema ”Em família defendemos a vida, com gestos de Alegria e Esperança”, a Semana Nacional da Vida propõe dois gestos celebrativos.

Hoje, 1ª de outubro, todos somos convidados ao tocar dos sinos, como “Sinal de Alegria” 12, 15 e 18 horas, rezar a oração do Nascituro, que se encontra em: www.cnpf.org.br/noticias/vida/oracao-pela-vida

No dia 08 de outubro, dia do Nascituro, novamente faz-se o convite para celebrar como “Sinal da Esperança”, simbolizando a Luz de Cristo, que se acenda o maior número de velas em família, na igreja, nas praças e/ou outros lugares públicos, rezando novamente a “Oração pela Vida”.

As comunidades também poderão realizar procissões, rezar terços ou encontrar outras formas que colaborem com as celebrações desta Semana Nacional da Vida. Não deixe de postar as fotos de sua comunidade nas redes sociais utilizando a Hashtag #SIMAVIDA!

Caminhemos com Fé celebrando a vida nesta semana, com Alegria e Esperança!

Comentários

  1. Gerardo Carvalho Frota (Pardal) disse:

    Sou Gerardo Carvalho (Pardal). Filósofo, Jornalista e poeta cordelista da Pastoral Familiar da Paróquia N.S. de Nazaré, Fortaleza(CE).
    Escrevi um folheto sobre o aborto. Para a caminhada provida aqui em Fortaleza, em 2018:

    Uma história que imagino para transmitir uma mensagem de vida

    TUDO PELA VIDA
    NADA PELO ABORTO

    Autor: Gerardo Carvalho Frota (Pardal)

    Peço a Deus inspiração
    E o bom uso da razão
    Para mais esta investida.
    A história que vou contar
    É para fazer calar
    Os que não defendem a vida!

    O assunto que vou tratar
    Já deu muito o que falar
    Por este Brasil afora.
    Eu vou falar sobre o ABORTO
    Que apesar do desconforto
    Discuti-lo sempre é hora.

    Esta história aconteceu
    Num Congresso que se deu
    No famoso Plaza Hotel.
    O assunto foi debatido
    E eu poeta metido
    Vai relatar no cordel.

    No evento estavam presentes
    Dez estados diferentes
    Cada qual representado
    Por quem lhe é de direito
    E cada um do seu jeito
    Iria dar seu recado.

    Também foram convidados
    Para o evento graduados
    E mestres em EDUCAÇÃO.
    Já que ABORTO é consequência
    Precisamos com urgência
    Abortar causa e razão.

    Na discussão benfazeja
    Estava presente a Igreja
    Vinda lá do Vaticano.
    A favor da vida humana
    Contra a prática tirana
    Do ABORTO que é um ato insano.

    Para não ficar patética
    A discussão vem a ética
    Pois tem um OUTRO em questão.
    Há filósofo no evento
    Pra guiar o questionamento
    No meio da discussão.

    Gente ligada à Saúde
    Outros conhecem amiúde
    Todas questões de direito.
    O Congresso com certeza
    Será de grande riqueza
    Pro assunto que está em pleito.

    O Congresso se inicia
    Eis a pergunta do dia:
    Afinal o que é o FETO?
    É uma coisa ou é ninguém
    É propriedade de alguém
    É um sujeito ou é objeto?

    Quem decide então o futuro
    Deste FETO nascituro?
    É portador de direitos?
    São tantas indagações
    Pra enriquecer as discussões
    E rever tantos conceitos!

    Pra começar a discussão
    Passou-se a Palavra então
    Para os Direitos Humanos
    Que indagam com veemência
    Se é questão de consciência
    Quaisquer atos desumanos?

    “Se uma questão de Moral
    Ou privada ou pessoal
    Do outro o direito atinge.
    Precisa então existir
    Prescrições e proibir
    Todo ato que o restringe.”

    “Quanto ao aborto a questão
    É que há uma relação
    Na qual estão implicados
    Os direitos de outro SER
    Que tem o direito de ter
    Direitos assegurados”.

    “O Direito diz respeito
    À relação do sujeito
    Com o ambiente social.
    O Direito então defende
    O mais fraco porque entende
    Que é uma luta desigual”.

    “O bebê inda vai nascer
    Mas é humano é um ser
    Que desabrocha pra a vida.
    Mais do que qualquer sujeito
    E vulnerável e o Direito
    Dá a tutela devida”.

    Segue em frente a discussão
    Descriminalização
    É o assunto que entra agora.
    Pois acham que incriminar
    Alguma mãe que abortar
    É a injustiça que vigora.

    Neste argumento há quem ajude
    É o Pessoal da Saúde
    Que querem o aborto legal.
    Para a mulher ser atendida
    Pelo SUS e que sua vida
    Não corra risco mortal.

    E assim estes defensores
    Tomam por base os horrores
    De tanta mulher que morre
    Em clínicas clandestinas
    Com abordagens assassinas
    Fica lá e ninguém socorre.

    “O aborto assim é uma questão
    Que tem a conotação
    De ser de Saúde Pública.
    Não dá mais para aceitar
    E se assim continuar
    Mancha mais nossa república”.

    “Aborto é uma consequência
    Usemos de inteligência,
    Questiona um Educador.
    Façamos aqui uma pausa.
    Vamos sim buscar a causa
    Do aborto e seu dissabor”.

    Enquanto a pausa acontece
    Uma fala favorece
    Aos que o aborto condenam.
    É o argumento da Igreja
    Pra que todo mundo veja
    Que aborto e fé não se emendam.

    Por ser crime contra a vida,
    A Igreja então nos convida,
    Diz o bispo ali presente.
    A pensar sobre a questão
    Do aborto como cristão
    Numa visão diferente.

    “Disse João Paulo Segundo
    Dentre os crimes deste mundo
    Um é aborto provocado.
    Por suas características
    E suas razões casuísticas
    Ninguém fique conformado.”

    “Como haver paz verdadeira
    Sem respeitar a inteira
    Dignidade da vida?
    De uma vida tão indefesa
    De inocente natureza
    Que é a criança não nascida?”

    Conclui então Dom Jordano
    Que “matar um ser humano
    No qual Deus está presente
    É de grande gravidade
    É pecar contra a vontade
    De quem deu a vida a gente”.

    E voltando àquela pausa
    Feita pra buscar a causa
    As razões de quem aborta.
    Com a palavra um Educador
    Mestre no assunto e doutor
    Que a refletir nos exorta.

    “Tornar legal o aborto
    É uma zona de conforto
    Pra quem não busca a razão.
    Quem aborta um feto seu
    É porque não recebeu
    Em sua vida EDUCAÇÃO.”

    Educação sexual
    Isto é que é o ideal
    Pra evitar toda desgraça
    Que a AIDS e o aborto trazem
    E tantas vítimas fazem
    Deixando o mudo sem graça”.

    “Governo distribuindo
    Camisinha e se iludindo
    Pensando ser a solução
    Contra AIDS e gravidez
    Quando ninguém teve vez
    De receber EDUCAÇAO.

    Para EDUCAR para o sexo
    Não tem nada de complexo
    Não precisa ser doutor.
    É só ensinar à criança
    Que não tire da lembrança
    Que o sexo é feito pro amor

    Mas para isso existir
    Governo tem que investir
    E promover condição:
    Formação continuada
    Ou mesmo especializada
    Para mais esta função.

    A pessoa deve aprender
    Que estudar sexo é entender
    Que sexo tem uma função.
    Diferente do animal,
    Que é instintivo e irracional,
    Precisa usar a razão.

    Ainda se fala em aborto
    Porque o governo está morto
    Ou tem uma mente raquítica.
    Pois educar para o sexo
    Para ele não tem nexo
    Falta vontade política”.

    Pra concluir eu pergunto:
    O sexo sendo um assunto
    Bem aprendido na escola
    Inda haverá o desconforto
    Provocado pelo aborto
    Que tanta desgraça assola?

    E assim o Congresso termina
    E uma lição nos ensina
    Quando o aborto for a questão:
    Que o mais verdadeiro esquema
    Pra resolver o problema
    Passa pela EDUCAÇÃO!

    Fim – Fort. (CE) setembro/2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *