Articulistas

Namoro cristão: um tempo de Deus

por Pastoral Familiar, 10 de junho de 2022, 1 Comentários(s)

Dom Adimir Antonio Mazali
Bispo de Erexim (RS) 

Minha saudação a todos os irmãos e irmãs que acompanham Voz da Diocese. Especialmente quero saudar os jovens e convidá-los a refletir sobre o “Dia dos namorados”, recordado na data de 12 de junho.  

Caríssimos. Um jovem cristão* fez a seguinte reflexão a outros jovens: 

“Namoro… uma palavra simples, com um significado tão rico. Na sua essência, composta pelo verbo amar. Na estrutura familiar é o período onde o casal passa a se conhecer, partilhar um pouco de seus sonhos, desejos e anseios, antes de darem um passo a mais e se unirem em matrimônio. 

Namorar significa estar em amor. Muito mais do que um estágio de vida, o namoro é uma fase em que o relacionamento deve ser vivido com entrega e verdade. Não há nada mais sublime do que desfrutar dessa fase ao lado de alguém que, além de te amar, te aproxima de Deus. O namoro cristão deve ser vivido a três: o outro, você e Deus. 

Por mais que o mundo tenha banalizado o namoro e alguns preceitos cristãos tenham sido deixados de lado, não há como não ressaltar a importância do casal de namorados estarem unidos a Deus. Namorar é conhecer. É o momento de descobrir as afinidades com a outra pessoa. É uma preparação que incidirá numa decisão ainda maior: o de serem ‘eternos namorados’. 

O segredo para um casamento feliz é um namoro vivenciado com respeito, na verdade, compreensão, companheirismo, castidade e fé. Homem e mulher respeitando suas diferenças e reconhecendo-se em ambos, a imagem e semelhança de Deus. Acima de tudo, reconhecer no outro um presente enviado por Deus a você. No namoro os jovens devem procurar conhecer não o corpo do outro, mas sua alma.  

Segundo o Catecismo da Igreja Católica, cabe ao casal se “ajudar mutuamente a crescer na castidade”; devem procurar conhecer-se com reciprocidade, descobrindo o respeito mútuo e num compromisso de fidelidade. 

O maior desafio do namoro cristão hoje é encontrar alguém que compartilhe do mesmo propósito que o seu. Há os que aceitam o Cristo através do outro num relacionamento. Essa é uma bela demonstração de amor para firmar um compromisso. Namorar é um constante doar-se que exige esforço e paciência para alicerçá-lo. O amor deve prevalecer sobre o desejar… Requer diálogo acima de tudo! É a única forma de conhecer profundamente um ao outro. O verdadeiro amor constrói e Deus dá a sustentação. ‘Se Deus estiver no início, não haverá final para o amor’”.  

*Revista Catedral, 187, 2019

Prezados jovens. Não tenham medo de recuperar os valores da vida cristã, nos relacionamentos enamorados para construir uma verdadeira família. O testemunho cristão dos pais começa na decisão de se conhecerem, de se amarem e assumirem o sacramento do matrimônio como sinal do grande amor de Deus por todos nós. 

Quero parabenizar a todos os casais de namorados e desejar que o Espírito de Deus os guie no conhecimento da verdade, para que, assumindo o casamento, tornem-se pais exemplares e, em seus lares reine a alegria, a paz e o diálogo.  

Que Deus os abençoe e a santidade seja a meta final de toda família cristã. 

Comentários

  1. Izabel Cristina Fernandes Ramalho disse:

    Bela reflexão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.