Igreja

“Não podemos aceitar que uma vida seja descartada”

por Pastoral Familiar, 23 de julho de 2015, 0 Comentários(s)

MisaVirgenAbortoChile_BarbaraBustamanteACIPrensa_170715“Ninguém pode ser descartado! Ninguém nunca deve ser descartado! “, afirmou o Presidente da Conferência Episcopal do Chile, Cardeal Ricardo Ezzati, logo após presidir a Santa Missa pela celebração de Nossa Senhora do Carmo, no dia 16 de julho, diante de milhares de fiéis no Santuário Nacional de Maipú.

Em uma jornada marcada pela prece a favor da vida frente ao projeto de despenalização do aborto, cuja votação está programada para o dia 4 de agosto, o Cardeal Arcebispo de Santiago disse que “o que nós propomos, não impomos, é que sobre um tema tão importante como o tema da vida e o descarte daqueles que não servem, tenhamos uma reflexão séria”.

“Não podemos aceitar que uma vida seja descartada”, sublinhou o purpurado.

Dom Ricardo Ezzati destacou: “Maria nos ensina a ser família, mostrando-nos o caminho fecundo para sê-lo, caminho que passa pela comunhão, a ajuda mútua e o cuidado recíproco que Deus Criador inscreveu em toda autêntica relação humana”.

“Sempre que não consigamos superar o mal escuro do individualismo egoísta, na vida familiar, na vida social e política em escala nacional, somente conseguiremos tornar mais profundas as brechas que nos dividem e toleramos que uns sejam considerados mais dignos que outros”, advertiu.

Finalmente, o Cardeal pediu a intercessão de Nossa Senhora do Carmo no cuidado da vida desde sua concepção até sua morte natural e que olhe “com misericórdia a tantos filhos que hoje levantam seus olhares a ti, esperando encontrar em seu coração de Mãe a acolhida, a escuta e a bênção”.

Antes de dar a bênção final, os fiéis elevaram uma oração de prece pela vida à Nossa Senhora do Carmo e a coroaram como “Rainha e Mãe da Vida e da Família”.

“Maria é mãe de Jesus e mãe de todos nós. Jesus nos entregou Maria como mãe aos pés da cruz. Portanto, essa missão de mãe da vida é uma prerrogativa que nós invocamos que ela torne presente também em nossa história”, indicou.

No norte do Chile, no Santuário de Tirana, cerca de 200 mil fiéis também celebraram a Padroeira do país. Em sua mensagem com ocasião desta celebração, o Bispo de Iquique, Dom Guillermo Vera, exortou os devotos da Virgem a abrirem seus corações e crescerem em piedade e devoção à Mãe de Deus.

O Projeto abortista

A presidenta do Chile, Michelle Bachelet, apresentou no final de janeiro deste ano o projeto de lei que despenaliza o aborto em três circunstâncias: inviabilidade do feto, risco de vida da mãe e estupro. A proposta legislativa, que foi enviada ao Congresso do país, inclui o aborto para menores de 14 anos.

Apesar de ter assegurado que “amamos a vida e ninguém queria interrompê-la”, Bachelet justificou seu projeto destacando que só será aplicado quando há risco de vida da mãe ou quando a vida que se gesta é inviável, ou ainda, quando a mesma for fruto da “violência sexual”

Na terça-feira, 30 de junho, e por pressão do governo de Michelle Bachelet, o presidente da Comissão de Saúde da Câmara de Deputados do Chile, Dr. Juan Luis Castro (do Partido Pela Democracia, PPD), dirigiu uma manobra para fechar a discussão sobre o projeto de despenalização do aborto e votar sobre sua legislação antes de ter escutado a todos os peritos que foram convidados a intervir no debate.

A Comissão de Família da Câmara de Deputados do Chile decidiu pospor a votação sobre a legislação do aborto que tinha sido agendada para esta terça-feira 7 de julho para o dia 4 de agosto.

Fonte: ACIDigital

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.