Igreja

Santo Antônio: muito mais que o santo casamenteiro

por Pastoral Familiar, 13 de junho de 2022, 0 Comentários(s)

O santo celebrado pela Igreja neste dia 13 de junho é cercado de tradições na devoção popular. Santo Antônio de Pádua, também conhecido como Santo Antônio de Lisboa, tem a fama de casamenteiro e é invocado para encontrar objetos perdidos, por exemplo. Mas a sua vida e sua obra também lhe renderam outros títulos e ensinamentos para a vida do povo de Deus.

Sobre os casamentos que são realizados com a ajuda do santo, a tradição surge de um convite à confiança na providência de Deus feita por Santo Antônio a uma jovem pobre. Segundo o relato, a jovem teria pedido a bênção do então frei Antônio porque não conseguia realizar o casamento por causa da baixa condição financeira de sua família. Sem dinheiro, não seria possível o pagamento do dote, das vestimentas e do enxoval. O frei abençoou a moça e pediu que confiasse; passados alguns dias, a mulher recebeu tudo o que precisava e conseguiu se casar.

Santo Antônio é patrono das mulheres estéreis, dos pobres, dos viajantes, dos pedreiros, dos padeiros, entre outros. Devido à sua caridade com os pobres, com frequência se representa Santo Antônio oferecendo pão a indigentes. Santo Antônio também é considerado um dos doutores da Igreja, sendo chamado de “Doutor do Evangelho”, pela riqueza da sua pregação. Também foi intitulado “O santo de todo o mundo” pelo Papa Leão XIII.

Ser tudo para todos

De seu testemunho de amor a Cristo e de comprometimento com o anúncio do Evangelho, é comum falar dele recorrendo à expressão “ser tudo para todos”, citando um versículo do capítulo 9 da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios:

Quando estou entre os fracos na fé, eu me torno fraco também a fim de ganhá-los para Cristo. Assim, eu me torno tudo para todos, a fim de poder, de qualquer maneira possível, salvar alguns. Faço tudo isso por causa do evangelho a fim de tomar parte nas suas bênçãos.

I Cor 9, 21-23

Santo Antônio fez esta DECISÃO e OPÇÃO FUNDAMENTAL ao decidir que abriria mão de seus direitos de herança familiar e obter muitas fortunas materiais, para tomar o caminho de discípulo missionário de Jesus Cristo, na VIDA FRANCISCANA. Sua grande “FORTUNA” era ser tudo para todos, a serviço do Evangelho“, partilhou em artigo o bispo da diocese de Lages, em Santa Catarina, dom Guilherme Antônio Werlang.

Atual

Em artigo publicado no Portal da CNBB, no ano passado, dom Adelar Baruffi, arcebispo de Cascavel (PR), afirmou que a imagem de Santo Antônio com o menino Jesus nos braços (inspirada em uma visão mística) e com a Sagrada Escrita continua “bem atual, inspirando o modo de ser e viver de todos nós, numa linguagem que antes de ser argumentativa, deve ser de testemunho e narração”.

Sermões

Ele ressalta as “riquezas de ensinamentos espirituais contidas nos ‘Sermões de Antônio’”, como os dois trechos destacados abaixo:

“Ó ricos, tornai-vos amigos dos pobres, acolhei-os na vossas casas: serão depois eles, os pobres, quem vos acolherão nos eternos tabernáculos, onde há a beleza da paz, a confiança da consciência, a opulenta tranquilidade da eterna saciedade”

Santo Antônio, Sermones Dominicales et Festivi II, p.29

“Se pregas Jesus, Ele comove os corações duros; se o invocas, alivia das tentações amargas; se o pensas, ilumina o teu coração; se o lês, sacia-te a mente”

Santo Antônio, Sermones Dominicales et Festivi II, p.59

Foto de capa: Carlos Daniel/Cathopic