Igreja

Papa no Dia Internacional das Pessoas com Deficiência: participação e dignidade

por Pastoral Familiar, 3 de dezembro de 2019, 0 Comentários(s)

O Papa Francisco escreveu uma mensagem para o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, celebrado nesta terça-feira, 3 de dezembro.  Participação, proteção dos direitos, cuidado e acompanhamento, reconhecimento da dignidade e integração na comunidade são alguns dos pontos que o Papa destaca no texto.

“Renovamos nosso olhar de fé, que vê em cada irmão e irmã a presença do próprio Cristo, que acredita que todo gesto de amor a um de seus irmãos mais novos é feito a Si Mesmo”, escreveu o Papa no início de sua mensagem.

Diante da cultura do descarte, Francisco chama atenção para ir além da proteção dos direitos das pessoas com deficiência e de suas famílias. É necessário “criar um mundo mais humano, eliminando tudo o que nos impede de ter plena cidadania, os obstáculos do preconceito e favorecendo a acessibilidade dos lugares e a qualidade de vida que leva em consideração todas as dimensões do ser humano”.

O pontífice ainda pede que no cuidado com as pessoas com deficiência haja a unção com dignidade, “para que participem ativamente da comunidade civil e eclesial”. Outro pedido é para que se reconheça em cada pessoa com deficiência “uma contribuição única para o bem comum por meio de sua biografia original”. E continua: “Reconheça a dignidade de cada pessoa, sabendo que ela não depende da funcionalidade dos cinco sentidos”.

O Evangelho nos ensina essa conversão. Precisamos desenvolver anticorpos contra uma cultura que considere algumas vidas da série A e outras da série B: este é um pecado social! Tenham a coragem de dar voz àqueles que são discriminados por causa de sua deficiência, porque, infelizmente, em algumas nações, até hoje, eles hesitam em reconhecê-los como pessoas de igual dignidade, como irmãos e irmãs na humanidade”.

Papa Francisco, Mensagem para o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência 2019

Francisco ainda recorda daqueles que chama de “exilados ocultos” que estão nos lares, nas famílias e sociedades. São as pessoas de todas as idades, especialmente idosas, que às vezes sentem ser um fardo, como “presenças complicadas”. Estas pessoas, segundo o Papa, correm o risco de serem descartadas e verem negadas perspectivas de construção do próprio futuro.

No fim da mensagem, o Papa encoraja os que trabalham com pessoas com deficiência “a continuar com este importante serviço e compromisso, que determina o grau de civilização de uma nação. E rezo para que cada pessoa sinta o olhar paterno de Deus, que afirma sua plena dignidade e o valor incondicional de sua vida”.

A mensagem na íntegra pode ser conferida aqui, em italiano, inglês e espanhol.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.