Família

Caminhando com as famílias – Setor Casos Especiais

por Luiz Lopes, 11 de julho de 2022, 3 Comentários(s)

Com este terceiro podcast, encerramos a série na qual observamos os 12 percursos pastorais propostos pelo Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida para a aplicação da exortação apostólica Amoris Laetitia – documento oferecido pelo Papa Francisco à Igreja em 2016 que repropõe o anúncio cristão sobre a família, o que é verdadeiramente uma boa notícia.

O casal Afrânio e Flávia Soares, coordenadores nacionais do Setor Casos Especiais da Pastoral Familiar, e o padre Fernando Francisco, que é o assessor eclesiástico do Setor, comentaram as duas propostas relacionadas ao trabalho do setor e o que já é aplicado em nossas dioceses, paróquias e comunidades. 

As ações do Setor Casos Especiais

Ação n. 5:Intensificar o acompanhamento dos casais em crise (cf. AL 232-ss.) para apoiar e formar para uma atitude resiliente, que leve a ver as dificuldades como oportunidades para crescer no amor e se fortalecer”.

Ação n. 11: “lançar iniciativas de acompanhamento e de discernimento para as famílias feridas (cf. AL 50-ss, 241-ss e 291-ss), para ajudá-las a descobrir e cumprir a missão que têm em sua família e na comunidade, a partir do Batismo”

Comentários

  1. Maria Neusa Rodrigues disse:

    Meu coração se alegra qdo percebo o empenho de algumas pessoas ainda acreditando no nosso bem Maior:- A Família!
    Maravilhosa proposta e o trabalho do Setor Casos Especiais da Pastoral Familiar. Isso msm necessitamos de maior acolhimento e trabalharmos com q temos. Dentro da proposta primeiro trabalhar o acolhimento dentro da própria Igreja e entre os Bispos com seu povo e os seus presibíteros q muitas vezes não encontram apoio.
    Parabéns ao Pe Fernando Francisco e ao casal Afrânio e Flávia Soares pela dedicação não medindo esforços p levar à todos o Amor de Jesus à cada um!!! Acompanho as lives tbem estão de Parabéns por Tudoooo…
    Precisaria ser mais divulgado nas paróquias p conhecimento de todos. Para isso dentro da própria Igreja deveria existir mais unidade e comunhão!

  2. João Batista Ferreira disse:

    Sou parte de um casal em Nova União, participamos do Grupo Bom Pastor a 7 anos, e o que mais nos preocupa é a falta de conhecimento e aceitação por parte da própria Igreja.
    Numa mesma Diocese tem paróquias em que os casos especiais já estão em franco desenvolvimento enquanto que outras não são sequer conhecidos e, assim também ocorre dentro de paróquias em relação às comunidades.
    Talvez este seja o ponto de partida para atingirmos os objetivos sugeridos pelo Santo Padre o Papa Francisco.

  3. Wania Fatima Duarte disse:

    Sou tão suspeita a falar dos casos especiais, pois foi através dai que pude trilhar um caminho com Deus, voltada ao amor misericordioso dEle. Vivenciamos isso na pele, tínhamos uma ferida aberta mais que nunca se acomodou, muito pelo contrario, segui ouvindo a voz do Bom Pastor… Deus me fez conhecer pessoas, padres, a nossa Igreja, a minha verdadeira vocação. Vivo a serviço da Igreja, a servir meu Senhor. E isso me fez acreditar mais no meu Senhor. Hoje conseguimos a tão sonhada nulidade, ainda não realizamos o sacramento do matrimonio, mais ja fizemos o EPVM, pois como fazíamos parte da Comissão Arquidiocesana ja havíamos feito com o próprio Andre Parreira. Hoje estamos vivendo a castidade. E tão logo for possível estaremos realizando o nosso casamento. Agradeço imensamente ao caso especiais que nos deu esse avivamento de nossa fé. Hoje também estamos como coordenador dos casos especiais em nossa paroquia. Que Deus nos abençoe e abençoe muito vcs. Gratidão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *