Igreja

Em artigo, dom Ricardo Hoepers propõe resgate da união solidária do povo brasileiro

por Luiz Lopes, 23 de janeiro de 2023, 0 Comentários(s)

Os conflitos, a intolerância, os ataques à Pátria e os atentados contra a Democracia, intensificados no início deste ano de 2023, acenderam mais um alerta na lista de preocupações da Igreja, cujo episcopado já há alguns anos se debruça sobre a polarização e as posturas radicais na sociedade. É nesse contexto que o bispo de Rio Grande (RS) e presidente da Comissão Episcopal para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Ricardo Hoepers, convida a refletir “como definir o povo brasileiro”.

À luz da encíclica Fratelli Tutti, do Papa Francisco, o bispo recorda a identidade solidária e unida do povo brasileiro, capaz de superar a política partidária e a polarização para fazer o bem em prol da integralidade da vida humana. O convite é para todos estarem unidos “no cuidado do humano, da sua integral dignidade”.

“Nosso povo sempre foi muito unido, especialmente nos momentos difíceis da nossa história, sejam por desastres naturais ou por tragédias encomendadas, o povo brasileiro sempre se demonstrou capaz de se mobilizar rapidamente para ajudar os mais necessitados. Os atos criminosos que aconteceram em Brasília não representam, em nada, a vontade do povo, que trabalha e ama a sua Pátria”, salientou.

No artigo, dom Ricardo ressalta também que o povo brasileiro “está para muito além da política partidária e da polarização quando se trata de salvar vidas”. Ele critica também a imaturidade ao adotar “uma visão reducionista e mesquinha da vida, distribuindo temas para quem é de “direita” e temas para quem é de “esquerda””.

Citando o documento do Papa Francisco, o bispo destaca a importância de recuperar o princípio da totalidade e da visão integral do ser humano; recorda a imagem da família como referência para uma sociedade justa e solidária; e convida a “nos unirmos no cuidado do humano, da sua integral dignidade”.

Confira, medite e estude o artigo na íntegra: aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *