Família

Palestrantes tiram dúvidas sobre a Amoris Laetitia e sobre a Familiaris Consortio

por Andre Luiz, 7 de maio de 2021, 0 Comentários(s)

Nesta quinta-feira (6), os três palestrantes do seminário on-line Alegria do Amor tiraram dúvidas dos participantes em uma mesa redonda coordenada pelo bispo de Rio Grande (RS) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Ricardo Hoerpers. Eles foram acompanhados ainda pela Dra. Maria Inês de Castro. O webinar tem o objetivo de debater os aspectos eclesiológicos, morais e pastorais inseridos nas exortações apostólicas Familiaris Consortio e Amoris Laetitia.

Foto: Reprodução/Youtube

Entre os questionamentos, cada um pode responder sobre quais pontos que a Pastoral Familiar pode avançar. A teóloga Maria Inês de Castro ressaltou que é necessário estar atento às perguntas que as famílias vêm fazendo. “Isso para que não percamos tempo em responder questões que ninguém faz mais. Além disso, devemos avançar em relação ao querigma, ao anúncio da Boa Nova”.

Já o padre Rafael Fornasier destacou a importância do entrosamento entre o clero e os integrantes da Pastoral Familiar. “É algo que pode estar atrelado também à formação dos futuros sacerdotes. Acredito que é necessário motivar, provocar os padres das paróquias de vocês”, disse.

Segundo Padre Rafael Solano a eclesiologia da Pastoral Familiar deve entrar profundamente na casa das famílias. “Devemos encontrar cada vez mais essa forma de vida dentro do plano de ação pastoral. Ela não pode, jamais, ficar como um movimento dentro das dioceses. A vida da igreja particular envolve todo o ser da Pastoral Familiar”, apontou.

Por fim, o bispo auxiliar de Porto Alegre, dom Leomar Brustolin, afirmou que é fundamental voltar a uma antropologia centrada em Cristo e a uma eclesiologia adequada à Igreja. “Ir ao encontro do outro já. Uma Pastoral Familiar em saída. Uma preocupação maior com as pessoas do que com eventos. Precisamos que as famílias nos ajudem a lidar com as famílias”, ressaltou.

Confira os questionamentos que foram feitos para os palestrantes:

Há mudanças de Compreensão do “ser família” na Amoris Laetitia?

Instrumentos para fornecer aos pais para uma catequese familiar?

Como atuar com as novas composições familiares?

Sobre a lei da gradualidade e o relativismo

Como lidar com a modernidade liquida e a sociedade fragmentada?

Querigma, conversão pastoral e lei da gradualidade

Família como sujeito da missão evangelizadora da Igreja

Confusão entre sexo, sexualidade e sexuado

Em que a Pastoral Familiar precisa avançar?

Seminário on-line

O webinário termina nesta sexta-feira (7) com a palestra do arcebispo de Florianópolis (SC), dom Wilson Tadeu Jönck, que vai ressaltar a importância para a família das figuras do pai e da mãe, do homem e da mulher.

A iniciativa integra o Ano Família Amoris Laetitia, que teve início em 19 de março, Dia de São José, e segue até 26 de junho de 2022, dia do X Encontro Mundial das Famílias, em Roma, com o Santo Padre. Os objetivos do Ano Família Amoris Laetitia anunciado pelo Papa Francisco são: difundir o conteúdo da exortação apostólica; anunciar que o sacramento do matrimônio é um dom; fazer da família protagonista da pastoral familiar; sensibilizar os jovens; e, ampliar o olhar e a ação da Pastoral Familiar.

Confira mais informações sobre o Ano Família Amoris laetitia no hotsite: www.vidaefamilia.org.br/al

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *